Fotografias de Tim Walker

Após a graduação na Exeter Art College, Walker atuou por um tempo como assistente freelance de fotografia, em Londres. Pouco depois, mudou-se para Nova York, onde trabalhou com Richard Avedon, também como assistente, mas agora em período integral. Ao retornar para o Reino Unido, o inglês inicialmente se aventurou como fotojornalista para publicações locais, até que, aos 25 anos, conquistou sua primeira oportunidade nas páginas da “Vogue” britânica. Logo, seguiram-se as edições americana e italiana do título e, já nesta década, colaborações com a “W” e “i-D”, além de campanhas publicitárias para a Aquascutum, Dior, Valentino e Mulberry. Em 2008, Walker ganhou uma grande retrospectiva no Design Museum de Londres, o que coincidiu com o lançamento de seu livro, “Pictures”, e o recebimento do prêmio “Isabella Blow” do British Fashion Council.


Tim Walker consegue de uma maneira única e jamais vista trazer o ar de magia e conto de fadas para suas fotografias.Ao longo de quase 20 anos de carreira,15 deles ligados especialmente a edição britânica da Vogue. A estética característica de Walker, que evoca as épicas fábulas e contos de fadas de uma Europa longínqua, somada a sua discrição, encobertam a própria imagem do fotógrafo.

 
Em 2009, o Centro Internacional de Fotografia de Nova York concedeu a Walker o prêmio “Infinity”, na categoria editorial e publicitária de moda. No ano seguinte, o britânico ganhou o prêmio ASME, da American Society of Magazine Editors, por “East Enders”, publicado na edição de setembro de 2010 da revista “W”. Ainda em 2010, Walker lançou seu primeiro curta-metragem, Lost Explorer, vencedor do Chicago United Film Festival 2011. Independentemente de quaisquer premiações, no entanto, Walker converteu-se em ícone por sua obra, dotada de uma dramaticidade ímpar. As megaproduções cenográficas, que se assemelham mais ao teatro que à própria moda, vão além da temporalidade da última e dão a The possibilidade de adentrar em um mundo à parte.
Anúncios

Street Style

Street style (estilo de rua),o nome já diz tudo,é aquela moda que surge quando vemos algo em alguem achamos legal e adaptamos ao nosso armário ou modo de vestir.Insipirado nessa “tendencia” foram criados sites especificos com esse assunto.O mais bacana é que não tem idade e nem frontieras,afinal vemos de tudo na rua.Então ai vai alguns desses sites

 

Copenhagen Cycle Chic Andar de bicicleta também pode ser uma atividade de estilo. Esse site prova isso e fotografa pessoas pelas ruas de Copenhague, Dinamarca, demonstrando que dá para ser chique e sustentável ao mesmo tempo.

 Advances Style O Advenced Style mostra que não é a idade que vai reduzir a ousadia das produções. Nova-iorquinos da terceira idade são personagens das fotos de Ari Seth Cohen e provam que a maturidade é parceira do estilo.

Murse Game Bolsas masculinas são o alvo desse site. O autor anônimo circula por Nova York a procura de homens que carreguem diferentes tipos de bolsas e novidades para os leitores.

Mini Street Style  Esse tumblr arrecada fotos de crianças que largaram os brinquedos e optaram pela moda. Uma aula para muito adulto que tem preguiça de se arrumar.

Citizen Couture Depois de ficar parcialmente cego por causa de um glaucoma, Jason Jean quis melhorar suas habilidades artísticas e investiu na atividade de fotógrafo. Seu interesse por moda o levou a fotografar pessoas em Nova York durante as semanas de moda, e hoje circula o mundo atrás diferentes estilos.

 

O melhor da Topshop no Brasil

A primeira unidade da Topshop no Brasil inaugurou neste Sábado(23.06) no Shopping JK Iguatemi,e causou alvoroço com uma fila de 100 metros e mais de 5 mil pessoas, a loja contabilizou mais de 4.500 itens vendidos no primeiro final de semana de funcionamento .
Confira alguns destaques da loja.
Há ótimos modelos de jeans, jeggings e moletons que imitam jeans. Atenção à numeração, que leva em conta o comprimento da perna: baixinhas e altonas serão igualmente contempladas.
Os vestidos não tem o melhor tecido do mundo, mas fazem ótimo efeito. O verde água, com cara vintage, sai por R$ 179. O de paetês com efeito holográfico custa R$ 399. O super estampado, R$ 299 – ele está entre as peças esgotadas.

 
 
O clássico trench coat cáqui sai por R$ 299.Um paletó de seda com caimento desmaiado $349.
Há boas opções de sapatos também como alpargata, oxford, sapatilha, rasteira, botinha. Dois modelos que fazem diferença no visual: o cap toe de salto amigável, R$ 259 na etiqueta, e as plataformas metalizadas, R$ 199.
Aproveite para se divertir com a quantidade de peças pop. O short estampado custa R$ 159 (os listrados, atrás dele, R$ 149). O top para fazer a linha Alice Dellal sai por R$ 56,40.

Bazar Journée Utilisé

Qual a mulher/menina que mora em uma cidade do “interior” nunca se frustrou em querer usar roupas,acessórios e sapatos que não encontra em sua cidade?A região do Vale dos Sinos vai ganhar essa oportunidade com o Bazar Journée Utilisé que vai nos apresentar lançamentos de inverno em roupas importadas de Londres e nacionais da loja APM Store, calçados Pyramidis,maquiagens L’Oreal,perfumes Chanel,DKNY,Donna Karan,Prada entre outras marcas,bolsas,acessórios,pulseira de couro Atelier Entre Nós,golas-colares Éllen Steffen e muito mais.
E ainda não para por ai vai ter consultoria de maquiagem e cabelos com Marcelo Martinelli,curadoria e discotecagem por Irmãos Holland e exposição de quadros Tiago Holland
O bazar vai acontecer no sábado dia 30 de Junho no Saleroso Atelier de tatuagem,Rua Vinte e Cinco de Julho,91 Novo Hamburgo.

 

 
 

(Pirando no short de franjas)

Dolce & Gabbana e o Inverno na Itália

A origem de Domenico Dolce e Stefano Gabbana vai além das marcas e referencias italianas apresentadas nas roupas,a prova mais clara disso foram as fotos da campanha da grife Dolce & Gabbana do Inverno 2012,que foram tiradas em ruas da Itália,a campanha foi toda insipirada em artefatos religiosos,artefatos esses que apareceram diversar vezes nas fotos,por sua vez as fotos são lindas e parecem saidas de um album de família.Participaram desta campanha a atriz Monica Belucci divide os flashes com a modelo Bianca Balti e a socialite Bianca Brendolini,e as fotos foram feitas por Giampaolo Sgura.

 
 
 

Chanel – Karl Lagerfeld fala sobre a grife e design

Atrás desses tons misteriosos, o sublime designer da Chanel é surpreendentemente pé no chão.
Eis o que diz Karl Lagerfeld a revista InStyle de julho de 2012 que trouxe uma breve entrevista com Karl Lagerfeld, estilista da Chanel que encanta e surpreende a todos com peças maravilhosas e cenários deslumbrantes em seus desfiles.

 

Confira as breves perguntas feitas a Lagerfeld e o que ele conta sobre design e a grife Chanel.
Qual é a melhor parte de um projeto?
Desenhar. É como um sonha um designer. Eu mantenho um bloco de desenho e lápis ao meu lado onde quer que eu durma.
O que torna he little black jacket tão importante que você fez um livro sobre isso?
A jaqueta Chanel começou como um riff do clássico vestidinho preto e foi inspirada por um uniforme de carregador australiano. Eu queria mostrar que todos – homens e mulheres – pode parecer maravilhosos, ainda que diferente na mesma peça de roupa.
Quem melhor usa Chanel?
Meu afilhado, Hudson, que estava no meu show de inverno. Ele vai ser o próximo supermodelo.

Você usa cenários deslumbrantes para os seus shows – o interior de um avião de luxo, por exemplo. Poderia explicar?
Para a coleção eu usei 154 tons de azul, todos relacionados com o céu. Qual é a melhor maneira de olhar para o céu, se não de um avião?
É uma viagem inspiradora para seu trabalho?
Não, prefiro ver e interpretar o mundo da minha janela. Então eu viajo para ver se o que está realmente lá é tão interessante quanto o que é na minha mente.
Você faz aparições em todos os lugares.
É importante conhecer as pessoas que compram as roupas. Design, como a arte, é artificial. Desenhar roupa é da classe trabalhadora, eu sou da classe trabalhadora!

Fonte: Penso Moda Fanny Littmann

Blogueiras X Jornalistas

Esse é um assunto polêmico que divide opniões,eu particularmente criei o blog para dividir coisas que gosto e acho interessante,basicamente como um amigo,um diário,e sinseramente não me acho no direito de criticar o trabalho de nenhum estilista,marca,loja,etc.
Mas há sempre aquelas criaturas que insistem em não ter nada pra falar que acrescente,e resolvem em uma iluminação “divina” que falar mal do trabalho alheio pode ser um caminho para fama instantanea de uma blogueira.
Porém essas blogueiras esquecem de um detalhes simples e básico,elas não recebem essas informações que postam durante um sonho ou premonição,elas leem em algum lugar,e esse lugar dependem essencialmente dos jornalistas FORMADOS em moda,não são “aventureiros”,claro toda regra tem exceção,o fato de que há jornalistas que não tem a minima noção do que escrevem é nitido e claro,está ai para todos verem.
Ainda sim acho que todas as mídias contribuem de alguma maneira,nem que seja para rirmos dos absurdos escritos,mas acho que algo é fundamental,não só na questão blogueiras e jornalistas e sim para vida em sociedade,e isso é o RESPEITO.